Palestra explora escuta ativa qualificada para práticas colaborativas

                 Clara Passi Habilidade central para as práticas colaborativas no Direito, a escuta ativa qualificada foi tema de uma palestra nesta quarta-feira, 17, na Seccional.  Lívia Caetano, advogada de Família especializada em práticas sistêmicas e constelação familiar e presidente da Comissão Especial de Práticas Colaborativas da OAB/RJ foi encarregada de conduzir a discussão.   A plateia, que lotou o Plenário Carlos Maurício, foi instada a participar constantemente por meio de exercícios e intervenções. Trechos do documentário Humano, de Yann Arthus-Bertrand (2016), foram usados como gatilho para o debate sobre a expressão não-verbal da fala e os sentimentos que os movem.   “Escuta ativa consiste em ouvir para identificar. É preciso calar-se por dentro. Ouvir o outro, que é tão diferente da gente, é um trabalho de amor de verdade. Como podemos conseguir olhar com amor ao ponto de conseguir amar alguém que matou minha filha e minha neta?”, provocou Caetano, citando um dos relatos mostrados pelo filme.   Aplicáveis a conflitos de natureza familiar, cível e empresarial, as práticas colaborativas são um método não adversarial de resolução de controvérsias, pautado na recusa à litigância e calcado no diálogo e na busca de acordos sustentáveis.
17/04/2019 (00:00)

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Bolsa de Valores

Dow Jone ... % . . . .
Bovespa 0,92% . . . .

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,08 4,08
EURO 4,56 4,56

Newsletter

© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia